ARTE LAGUNA

“O Prêmio Arte Laguna é, como eu gostaria de reiterar, um posto privilegiado de observação sobre o mundo da arte e, às vezes, sobre a realidade também.

Desse ponto de vista, você pode realmente olhar para o mundo da arte contemporânea na sua totalidade, nos seus recursos espontâneos, não apenas na aparência ultra-brilhante de feiras internacionais e grandes galerias, mas também na parte que é feita de experiências mínimas mais espontâneas e, às vezes, mais corajosa, um mundo que abrange o globo terrestre e vem em centenas de idiomas e sotaques.

Deste mundo vivo e energético, parecemos receber a resposta de uma recuperação, uma força geradora, um desejo de redenção e fé no ser humano. Apesar de tudo, apesar da crise econômica e da instabilidade político-social, os artistas estão lá e estão vivos e criativos, e acreditam em fazer arte como uma pura e verdadeira forma de expressão, que se transforma em um aviso para a nossa sobrevivência.

Observando os milhares de trabalhos que foram submetidos ao prêmio, é possível perceber um relato quase sociológico dos medos, esperanças e desejos da humanidade.

A incerteza em torno do papel das mulheres surge predominantemente no trabalho de artistas de países onde a condição da mulher é ruim e caracterizada pela privação sistemática de certos direitos fundamentais, juntamente com uma grande variedade de trabalhos que lidam com a condição de crianças e trabalho infantil.

A angústia de natureza violada e distorcida parece ser um tema comum compartilhado por muitos artistas, especialmente os vindos da Ásia, onde o legado emocional de Fukushima ainda é forte e palpável. Ao lado disso, a busca pela identidade dos seres humanos, sendo eles homens, mulheres, transgêneros, migrantes ou imigrantes, parece afetar fortemente o trabalho de artistas de todo o mundo, quase como se existisse um fio em comum que conectasse as situações mais díspares e diversas.

No entanto, isso não deve nos levar a acreditar que, no geral, o que ocorre é uma sensação de ansiedade ou dramaticidade, e que as questões tratadas são apenas o resultado de problemas, porque o prazer da beleza, a busca de novas dimensões internas ou de força inerente à vida, são realmente questões muito populares e muito investigadas.

Mil temas, mil sugestões, mil maneiras mas, o mais importante, um forte desejo de crescimento que implica um senso inerente de vida, não apenas sobrevivência.

O prêmio é um fresco lírico e multifacetado do que significa ser um artista em todos os níveis e em todas as regiões do mundo, e, apenas por sua complexidade, não há vencedores nem perdedores reais, mas apenas as propostas de um grupo de observadores do mundo da arte que procura reconstruir os fragmentos e o significado iconográfico deste fresco.

Os critérios de interpretação e seleção podem ser variáveis e intimamente associada à personalidade do indivíduo que intervém, expondo seu profissionalismo à milhares de questões e à milhares de insumos inerentes às obras apresentadas na competição.

A exposição final é o resultado dessa tentativa de desvendar o emaranhado, tentativa de entender, classificar e historiar uma realidade que mais parece complexa e ilusória.

Essa exposição é dedicada a todos vocês, aos artistas que participaram do prêmio, aos artistas que foram selecionados e também àqueles que não foram, porque o trabalho de todos vocês, como um todo, é um testemunho imperdível do nosso mundo contemporâneo e um grito de alegria de esperança para o futuro.

Obrigado a todos vocês que se agarram com coragem nas artes.”

 

Igor Zanti